O prefeito Sérgio Azevedo (PSDB) sancionou na noite desta quinta-feira o Projeto de Lei da vereadora Dra. Regina que dispõe sobre o direito do idoso, das pessoas com mobilidade reduzida e das pessoas portadoras de doenças crônicas, de receber seus medicamentos de distribuição gratuita em casa. Importante ressaltar que a entrega domiciliar de medicamentos, além de facilitar a vida do usuário da farmácia da rede pública, garante acesso efetivo aos medicamentos, promove adesão ao tratamento e humaniza o atendimento.

Já na sessão ordinária de terça-feira foi aprovado requerimento de autoria da vereadora Dra. Regina com pedido de informações ao executivo sobre planejamento para reestruturar o Teleférico. “Ali é um cartão de visita e de repente você chega e se depara com aquela estrutura bem detonada e dá uma ideia de abandono. É muito ruim”, lamentou. O objetivo do requerimento, segundo ela, é saber se o Executivo tem algum plano para a recuperação ou se isso tem a ver com a terceirização dos pontos de passeio.

“O Teleférico era uma fonte de recursos muito grande para o turismo e o que me intriga é que, quando ele estava funcionando, não se utilizava a própria receita para fazer a manutenção do equipamento. Se fossem feitas as manutenções necessárias talvez hoje não estivesse nesta situação, porque acho que o valor para reestruturá-lo e deixá-lo em condições de funcionar com segurança deve ser muito alto”, disse a vereadora. Para falar sobre o assunto, Dra. Regina concedeu entrevista para a EPTV sul de Minas.

Também na terça-feira foi apresentado pela Dra. Regina um projeto de lei complementar para tornar obrigatório o exame de acuidade auditiva e visual para os alunos das escolas da rede pública de Poços de Caldas que apresentarem sinais detectados através do desempenho de aprendizado e outros critérios pedagógicos.

Na quarta-feira (7), atendendo a um requerimento da Dra. Regina foi realizada a audiência pública “Agravos Ambientais em Poços de Caldas e em seu entorno”. Ao abrir a audiência, Dra. Regina lembrou que o planeta está passando por alterações climáticas importantes e sérias. “Os recursos naturais estão se esgotando. Desastres ecológicos ameaçam o ecossistema, a flora, a fauna e por isso todo debate em torno da consciência ambiental para preservação do meio ambiente é fundamental para todos nós”, afirmou.

Segundo ela, infelizmente, de uma forma maléfica o homem influencia a natureza, mas poderia ser de uma forma benéfica, desde o estabelecimento da humanidade, enquanto sociedade. E que, assim, a relação do homem com a natureza surge à importância da consciência ambiental que consiste em inserir o homem ao meio e não o meio ao homem. “Ter este entendimento é ter o funcionamento fisiológico, natural, e aí nossas ações podem, ou não, gerar impactos a curto, médio e longos prazos. A consciência completa não separa o ser do meio ambiente, mas desperta na pessoa a percepção de que as agressões à natureza serão reflexos dela própria. Por fim, este conhecimento precisa ser colocado em prática de forma a mitigar os efeitos negativos, sejam químicos, físicos, biológicos, radioativos, desmatamentos, poluição das águas, lixões que contaminam nossos lençóis freáticos e para isto precisamos de atitudes e ações conscientes da preservação e, em última análise, da vida”, defendeu a vereadora.