O secretário de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Thiago Mariano, informou que com o anúncio de novas empresas, a administração municipal tem sido muito incisiva na instalação rápida delas. E que a partir do momento em que tomam posse da escritura, elas têm 16 meses para começar a trabalhar.

“A gente conversa muito antes e tivemos neste um ano a reversão de 17 áreas, que já haviam sido doadas e que as empresas não fizeram nada. Boa parte dessas áreas retornou para o município de forma amigável e algumas na Justiça. Tinha empresa que estava de posse do imóvel há 17 anos sem ter feito um passeio”, informou.

O secretário disse que hoje há pouquíssimos terrenos disponíveis no Distrito Industrial e que foi conversado com o prefeito Sérgio Azevedo e com o governo do Estado sobre a possibilidade de um distrito privado.. “A idéia é investir na iniciativa privada. Essas grandes empresas que vem de fora, se pensar bem, terreno é irrelevante para elas perto do volume do investimento. A gente tem que apoiar, tem que doar, para os pequenos”, defendeu.

Tiago afirmou que hoje há um mini distrito dentro do próprio Distrito Industrial, com 20 imóveis, em média de 2000 metros quadrados, que dão para instalar pequenas indústrias, que até podem servir as indústrias que lá estão instaladas. “Indústrias de base, de pequeno porte, mas que também movimentam nossa economia”, explicou.