O Movimento SOS Serra de São Domingos promoveu, na semana passada, uma discussão remota tendo como tema “Água, Serra de São Domingos e Responsabilidade Compartilhada”. Participaram a vereadora presidente da Comissão das Águas e Meio Ambiente, Regina Cioffi, maisYulaMerola, do partido Cidadania; a bióloga e especialista em gerenciamento de resíduos sólidos, Ana Claudia Oliveira; o vereador de Caldas, Daniel Tygel; o engenheiro em segurança do trabalho e engenheiro ambiental, Edson Ludovino e o engenheiro ambiental Cristiano Reis Vilela.

Durante a discussão surgiu a questão do tratamento 100% do esgoto coletado na área urbana, tendo Cristiano informado que se for pesquisado os relevos da cidade, a estação de tratamento não tem condições de bombeamento para fazer o tratamento. “A cidade cresce muito rápido, o relevo é muito acidentado, o que atrapalha na coleta do esgoto. Para tratar todo esgoto teríamos que ter pelo menos mais dez estações de tratamento para compensar o relevo de Poços. Isso é muito divulgado porque é cobrada uma taxa pelo tratamento do esgoto”, disse ele.

Ludovino lembrou que o diretor do DMAE disse, em entrevista na semana passada, que moradores jogam esgoto na represa Bortolan. “O que coletam eles tratam, mas não coletam tudo. No Bortolan existem várias casas abaixo do nível da rede de coleta do DMAE, então teria que ter um sistema de bombeamento e ninguém quer arcar com esse custo”.

“De quem é responsabilidade?”, questionou a bióloga Ana Cláudia. A vereadora Regina informou que a Comissão das Águas vai trabalhar na elaboração de um Plano de Saneamento, que ainda não existe na cidade. Segundo ela, há duas semanas deu entrada no Legislativo, um plano de saneamento de autoria do executivo. “Quando a comissão falou que ia fazer, o executivo mandou. Com nossas atitudes vamos mexendo com pessoas que estão na zona de conforto. As falácias são muitas e criam problemas para a estratégia política, porque você não sabe a verdade”, lamentou.