A Câmara de Poços realiza, nesta quarta-feira (02), às 15h, audiência pública para debater o tema Dependência Química com Foco no Tratamento. O encontro atende a um Requerimento dos vereadores Regina Cioffi (PP) e Tiago Braz (Rede), aprovado pelos demais vereadores.

Segundo os autores, diante de dados alarmantes a respeito da movimentação da indústria da droga, do número de usuários em todo mundo, dos valores gastos no Brasil com a dependência química e do número de mortes em decorrência do uso de entorpecentes ou de crimes relacionados ao tráfico, é preciso trazer os diversos atores envolvidos para discutir o tema. Para eles, a audiência possibilitará que se tenha conhecimento da realidade do município em relação à dependência química.

No Requerimento, os vereadores citam alguns pontos a serem abordados: realidade em relação ao tratamento do dependente químico em Poços de Caldas/estatísticas (idade, sexo, casos em tratamento, quantos mantêm a continuidade do tratamento, etc); diagnóstico mais preciso sobre todos os pilares do atendimento – primário, secundário e terciário; planejamento a curto, médio e longo prazo para o acolhimento holístico e interdisciplinar ao paciente e seus familiares; logística quando a indicação médica é para o tratamento em Unidades de Acolhimento ou Clínica Especializada com atendimento multidisciplinar; clínicas conveniadas com a Prefeitura; atendimento na rede pública e a integralização entre PSF, UBS e CAPS AD.

Tiago Braz ressalta que a finalidade do debate é avançar nas políticas públicas. “Essa audiência vai discutir uma das bandeiras que eu levanto, que é da recuperação dos dependentes e do tratamento humanizado com o pessoal em situação rua. Precisamos intensificar isso no município, já existem políticas públicas para os usuários, mas precisamos de avanços. Queremos discutir com os que trabalham nessa área, população, Câmara e Prefeitura iniciativas para trazer crescimento e novas metodologias de tratamento e acompanhamento”, declara.

De acordo com a vereadora Regina Cioffi, a intenção é trazer para o debate tanto o tratamento em comunidades terapêuticas, como também o ambulatorial. Ela destaca as presenças já confirmadas na audiência da subsecretária de Políticas Sobre Drogas de Minas Gerais Soraya Romina dos Santos e do presidente da Federação Mineira das Comunidades Terapêuticas Diego Aguiar. “É preciso saber quais são as políticas públicas planejadas para que, realmente, haja um tratamento eficiente. Tratamento não só do dependente, mas dos familiares também. Outro ponto que observamos é que a sociedade não absorve essas pessoas para trabalhar depois e considero esse o grande problema. Como não consegue ter seu sustento, volta ao mundo das drogas. É um assunto complexo, que depende de união, a sociedade precisa se envolver. Queremos pensar em algo efetivo em Poços, com a expansão das políticas públicas”, afirma.

As inscrições para uso da palavra durante a audiência devem ser feitas até 31 de maio, às 18h, pelo e-mail [email protected]. O evento é transmitido pelas páginas do Fecebook e YouTube e dúvidas ou sugestões podem ser encaminhadas pelo WhatsApp, no número (35) 3729-3800. A participação presencial no evento se dará por ordem de chegada, respeitando o limite de 30% da capacidade do plenário.