*Até ontem, Pelo menos 147 cidades mineiras estavam com hospitais correndo risco iminente de falta de medicamentos do chamado ‘kit intubação’. A conclusão é de uma pesquisa semanal feita pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) sobre os desafios enfrentados pelos entes locais no combate à pandemia da Covid-19. Em Poços a situação está sob controle pelo menos pelos próximos 15 dias.

* Tudo indica que a vereadora Regina Cioffi (Progressistas), terá um candidato a senador para chamar de seu na eleição de 2022. Sem amigo, o jovem deputado Marcelo Aro (Progressistas), está sonhando alto e pensa em ser senador por Minas. Mas o movimento do deputado já incomoda nomes importantes da política mineira. Aro tenta influir em decisões de partidos do “centrão” como PTC, Podemos e PMN, na ânsia de buscar apoios para a sua candidatura ao Senado.

* A Secretaria de Promoção Social está anunciando para a próxima segunda-feira, o sorteio pelo sistema remoto, dos 300 apartamentos do conjunto Sonho Dourado, aquele que continua com a situação indefinida e gerando polêmica pela demora na documentação, cujo desfecho estava agendado para esta quinta-feira dia 22 e que acabou sendo adiado, para não se sabe quando.

* Por conta da pandemia da Covid-19, o sorteio poderá ser acompanhado exclusivamente por transmissão remota pelos canais de comunicação oficiais da Prefeitura, não sendo permitida a presença de nenhum concorrente no local. Os 300 titulares que receberão um apartamento foram selecionados a partir de diversos critérios estabelecidos em âmbito municipal e federal, dentro das normas do Programa Minha Casa Minha Vida, além da avaliação técnico-administrativo-financeira da Gerência Executiva de Habitação da Caixa.

* Só que as chaves dos apartamentos para que os beneficiados com os imóveis possam se mudar e ficar livre do aluguel, não será entregue porque existe pendência a ser resolvida na liberação dos apartamentos. A situação está complicada e pode acabar na justiça com um desfecho para data indefinida.

* Na tarde de ontem, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal se reuniu com os secretários de Planejamento, Antonio Carlos Alvisi e o titular da Promoção Social, Carlos Henrique, mais duas representantes do Cartório de Registro de Imóveis para buscar uma solução para o impasse.O secretárioAlvisi disse que a parte que caberia a Prefeitura está resolvida, e a solução depende agora da Caixa Econômica Federal e da construtora responsável pelo empreendimento.

* Já responsável pela empresa desmente a afirmação do secretário de planejamento, afirmando que todo atraso se deve a sua incompetência e falta de vontade em solucionar o problema. “Ele mentiu para os vereadores que fazem parte da comissão”, disse o empresário que deve solicitar o uso da tribuna na próxima reunião ordinária para esclarecer quem é que realmente está errado e atrasando a entrega dos apartamentos.