E-mail encaminhado para a Câmara pela equipe do Serviço Único Registral de Imóveis, lido durante a audiência, informou que até aquele momento não havia o conhecimento de aprovação do projeto de desmembramento. “O que se faz necessário para a confecção das demais documentações. Informamos ainda que foi feito, na conta desta serventia, um depósito no valor de R$ 3.246,78, por suposição seria para pagamento das custas do Sonho Dourado 1, o que foi devolvido ao depositante, pois não há documento a ser pré-notado, o que impede desta serventia receber qualquer quantia. Para que esta serventia possa calcular o valor de registro é necessária a documentação em mãos, bem como o procedimento de pré-notação previsto em lei”, informou representante do Cartório de Imóveis, colocando-se à disposição, por saber da importância social desta documentação registrada.

Alegou ainda que só pode ajudar dentro do que lhe compete, ou seja, com a documentação constituída, porque a partir daí fará a possível para entregar o mais rápido, assim como prometido em todas as reuniões. “Nosso compromisso com as famílias será mantido até o final, lembrando que prezamos pela segurança jurídica do ato”, concluiu.