* Perguntada novamente sobre quem decidiu qual secretário não iria tirar férias, a secretária afirmou que a decisão “foi tomada por um momento em que todo mundo estava passando”. Mais efusivo no questionamento, Diney afirmou: “secretária, momento não é sujeito. Quero saber qual o sujeito que determinou qual secretário não tiraria férias?”, insistiu. “Acho que o próprio secretário naquele momento entendeu que não tinha como ele tirar férias”, respondeu a secretária.

* O vereador Diney Lennon (PT), ainda perguntou porque o prefeito tendo um vice-prefeito optou também por não tirar férias. “O prefeito responde por si só. É uma cidade que ele tem que tomar conta, está na responsabilidade total dele, claro que compartilhada ali com todos os seus gestores, mas o vice-prefeito ocupava uma pasta, tinha seus compromissos, estava presente e muito atuante a frente desta secretaria que ocupava”, disse a secretária.

* A secretária informou que o prefeito tirou férias em 2018, em 2019 e em 2020 que estava programado para tirar uns dias ele não pode, tirou uma semana. “Devido a situação que estávamos vivendo ele entendeu que aquele não era o momento. Como é que o prefeito vai tirar férias e deixar a cidade ao caos, mesmo tendo ali seu vice-prefeito? Foi uma situação compartilhada com todo mundo. O vice-prefeito não tirou nenhum dia de férias, porque ocupava uma pasta e entendeu que precisava estar presente”, disse.

* Ana Alice garantiu que o prefeito não arquitetou isso pensando em receber posteriormente. “Foi um momento difícil para todos nós, em que ele como servidor, como gestor, como ser humano, por bem pensou em resolver, atender a situação que todos nós estávamos envolvidos, onde ele é a peça principal, porque qualquer problema maior que acontecer na cidade quem responde por isto é o prefeito”, declarou.

* A Secretaria Municipal de Saúde da vizinha cidade de Andradas também confirmou a presença da nova variante P1, de Manaus, que é uma variação genética do coronavírus. A confirmação foi possível devido a coleta de amostras de um paciente com covid-19 que morreu em abril. De acordo com a secretaria a presença desta variante é muito preocupante, porque ela é altamente transmissível, tem maior risco de agravamento da doença e letalidade e acomete pessoas jovens mesmo sem ter comorbidades.

* O deputado estadual Mauro Tramonte postou vídeo em sua página na rede social Facebook, informando ter recebido a primeira dose de vacina Astrazeneca contra a covid. “Pessoal, vamos vacinar, é o único jeito que a gente tem de acabar com esta porcaria de doença. Eu não fico com medo de vacinar não. Vamos vacinar que é a melhor coisa que temos”, disse o deputado.

 

Dos leitores

O auxílio emergencial federal de R$ 150,00   foi dado   a 36 milhões   de   brasileiros sob   a   alegação que não havia condições econômicas de ser maior. Daí vem o governo municipal, bem mais fraco, e oferece um auxílio de 300,00

1 –  É certo o município, que está com muitas dívidas, sem CND (diz que vai conseguir pagar as dívidas e conseguir (até agora não), oferecer um auxílio que nem o governo federal conseguiu assumir? Deveria pagar primeiro e depois elaborar esse projeto (balaio de gato – muita coisa junta)

  1. – Será que se tivéssemos procurado gerar mais empregos e salários em Poços de Caldas, ao exemplo de municípios vizinhos, não poderíamos evitar agora mais uma sangria na galinha dos ovos de ouro(DME) fazendo assim cortejo com o chapéu alheio em assistencialismo?

3 – A atual administração não teme que o MP possa opinar e considerar esse ato de dar dinheiro, em virtude das péssimas condições financeiras do município, como sendo clientelismo político?

4 – Nossa prioridade é Médicos Intensivistas, para reforçar assistência nas UTIs aos pacientes de Covid, pois não há especialistas (intensivistas) suficientes e outras especialidades os substituem, o que é crime. Está fazendo cortejo com chapéu alheio e sangrando o DME, que fica sem recursos para investimentos em novos projetos como usinas fotovoltaica e manutenção nas atuais (R.N.)