Em fala confusa, o pastor Wilson afirmou que ia votar favorável ao relatório, por não conter irregularidades, mas que em plenário, na sessão ordinária desta terça-feira, vai votar de forma diferente, ou seja, será contra o projeto. “Não tem nenhuma ilegalidade no projeto, mas no plenário meu voto provavelmente será diferente pela questão de como aplicar esta lei levando em consideração todo este momento que estamos passando”, afirmou. Para ele, é boa a intenção dos vereadores que estão propondo o projeto, porque o uso de máscara é fundamental para a proteção e prevenção da doença, mas as pessoas sequer estão tendo condições, neste momento, de comprar o básico, e talvez não tenham para comprar máscaras.  Lembrou que, por isto, dentro do projeto está se propondo ainda que os PSFs forneçam máscaras para a população.