Nesta semana, a vereadora Luzia Martins (PDT) se reuniu com a secretária de Educação Maria Helena Braga para discutir, entre outros assuntos, a implementação no município do Plano de Convivência Ética nas Escolas. A parlamentar encaminhará ao Executivo uma Indicação sobre o tema.

Luzia ressalta que é preciso pensar na possibilidade de colocar em prática o Plano de Convivência Ética. “É um projeto que merece atenção, pois foi construído a várias mãos por pessoas que vivem a educação. Esse Plano envolve algumas diretrizes, entre elas viabilizar recursos em relação à promoção da cultura e da paz, prevenção da violência e da melhoria da convivência na escola, fomentar nas escolas os valores, atitudes e práticas que permitem melhorar a legitimação das regras, avançar no respeito à diversidade e no fomento da igualdade de direitos”, pontua.

Para a vereadora, é dever da Câmara levar ao Executivo as demandas da população. “Enquanto vereadores, somos uma ponte que liga a população ao Executivo. Cabe a cada um de nós dialogarmos e pensarmos formas de articular e criar projetos que beneficiem nossa cidade. Pensando a educação como direito fundamental, que permeia todo o desenvolvimento humano, não só na questão do ensino-aprendizagem, mas também nas potencialidades e nas relações que envolvem o âmbito familiar e social, estive com a secretária Maria Helena Braga, que é uma profissional que conhece como ninguém a educação da cidade. Além da questão do Plano de Convivência Ética, pude apresentar outros questionamentos, como a situação do projeto Educador Aprendente”, destaca.

No mês de março, Luzia apresentou um Requerimento sobre o Programa Educador Aprendente, criado pela Lei Municipal n. 9.356/2019. O objetivo da norma é possibilitar a formação continuada dos profissionais da educação. “Esse meu Requerimento questiona quais os cursos ofertados em 2020 e o cronograma existente para 2021. Na reunião, pude conversar sobre esse projeto, se os professores estavam tendo acesso às atividades e sobre a continuidade do programa. A informação é que foi publicado um Edital com inscrições abertas nesse início do mês de maio, o que é muito importante”.

A legisladora aproveitou a oportunidade para abordar, também, a questão de um possível retorno às aulas. “Pude ouvir da secretária a questão dos profissionais da educação, se eles estão sendo preparados para um possível retorno, se estão sendo orientados a partir dos protocolos criados, já que esses protocolos foram implementados sem a participação desses profissionais. Queremos saber se as escolas estão preparadas. Também conversei sobre a possível abertura de novos EJAs, o projeto de Educação de Jovens e Adultos. Temos conhecimento da importância desse trabalho e a intenção é que ele possa ser expandido, atendendo mais pessoas. A falta dessa formação tem prejudicado a inserção deles no mercado de trabalho”, finaliza.