O vereador Tiago Braz disse que se entristece com o posicionamento do executivo frente ao legislativo municipal por não buscar uma aproximação, por excluir os vereadores de informações. “Nós, enquanto representantes do povo, estamos nas ruas, as pessoas perguntam, questionam e eu fico sabendo das coisas através das pessoas nas ruas ou da imprensa. Como vereador acho que deveríamos ficar sabendo das informações. Eu não vim aqui para ser pai de criança de corte de mato, de redutor, de projeto, não, eu quero ver o povo bem”, garantiu. Tiago disse que apóia o projeto “Recupera Poços” que o Executivo vai enviar a Câmara.

“O que me entristece é que eu apóio, mas não fico sabendo. Aí chega aqui e temos que engolir goela abaixo um regime de urgência e depois votar rapidamente. O regime de urgência atrapalha o trabalho das nossas assessorias, atrapalha um parecer prévio nosso e é isso que sempre acontece”, lamentou.  Tiago afirmou que, em muitos casos, parece que estamos em um incêndio, que o fogo aumenta de um lado e os vereadores apagam, aumenta de outro lado e os vereadores correm de novo para apagar.

“Não sei se por ordem do prefeito ou não, as informações chegam até o Flavinho, que é o líder do governo, que reúne todos os vereadores, menos os quatro que, em algum momento, fazem alguma crítica ao Executivo, porque pelo jeito ele não gosta de receber críticas, e nós ficamos ao Deus dará e sabe lá como vamos ficar sabendo das informações”, lamentou Tiago.