Ontem o vereador Claudiney Marques afirmou que a Câmara Municipal tem um canal no YouTube e quem quiser pode procurar o vídeo, da última sessão de terça-feira, para ouvir a sua fala a respeito da Moção de Apelo à ALMG para manutenção do veto do governador Romeu Zema ao projeto que estabelece punições às empresas que discriminem, coajam ou atentem contra direitos das pessoas em razão da orientação sexual, identidade de gênero ou expressão de gênero.

“Não há, absolutamente nadade ofensas e eu já tenho pareceres jurídicos nesse sentido, mostrando que não fiz qualquer apologia ao nazismo. E o que é a apologia? É justamente a defesa. Eu não fiz qualquer defesa ali, muito pelo contrário, eu apenas citei que o nazismo e o fascismo fizeram tanto mal para a humanidade e depois eu trago a questão da ideologia de gênero”, disse o vereador.

Para Claudiney, neste aspecto, está havendo certa tendenciosidade. “Tanto eu, como minha assessoria jurídica não vemos qualquer tipo de alusão ou defesa ao nazismo. Muito pelo contrário, eu estou dizendo com clareza que tanto uma como a outra são ideologias nefastas”, afirmou.

Lembrado que em sua fala na Câmara ele afirmou que a ideologia de gênero seria pior do que o nazismo e o fascismo, Claudiney respondeu que fez uma leitura comparativa, uma vez que “tanto aquelas quanto esta foram nocivas”. Disse que o nazismo e o fascismo se materializavam diante das pessoas, mas que a ideologiade gênero é invisível, “come pelas beiradas e vai invadindo sua casa, sua família”.