Vai mal na criação de novos empregos

Os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, referentes ao ano de 2018, mostra que a chamada administração técnica vai muito mal na criação de novos empregos com carteira assinada. Com saldo negativo em 177 postos de trabalho extintos, a administração tucana fecha o ano em situação ainda pior que a do último ano do ex-prefeito Eloisio Lourenço, quando o saldo negativo foi de 153.

E desta vez não vai dar para jogar a culpa nos governos estadual ou federal, porque o mercado de trabalho brasileiro criou 529.554 empregos com carteira assinada em 2018, o primeiro resultado positivo anual depois de três anos de retração no emprego também é o melhor desempenho desde 2013, quando foram gerados 1,138 milhão empregos na série com ajustes.

Minas Gerais foi o segundo Estado que mais gerou postos formais de emprego em 2018, perdendo apenas para São Paulo. No ano, foram criadas 1,763 milhão de vagas, enquanto outras 1,681 milhão foram encerradas, totalizando saldo positivo de 81,9 mil postos de trabalho.

Fechar Menu