Sobre a questão das vacinas, o secretário defendeu que não haja politicagem. “Até hoje eu não sei se houve, acho que não houve, mas não pode haver privilégios, seria uma injustiça muito grande se uma cidade recebesse proporcionalmente mais do que a outra. Eu não tenho notícia de que isso esteja acontecendo. O que nós sabemos é que chega a vacina aqui e no mesmo dia ela é utilizada, nós damos conta, corremos, montamos na Urca um centro de vacinação muito bom, pode receber por drive thru, a pé, sem aglomeração, sem atropelos. Nossa esperança é que a vacina chegue. A solução é a vacina”, defendeu.