O pedido da médica nutróloga e clínica geral Andrea Almeida Magalhães para a utilização do uso da tribuna popular da Câmara para expor pontos de vista sobre tratamento precoce da COVID-19, com objetivo de propor soluções para minimizar todo o prejuízo causado pela pandemia, gerou grande discussão ontem na sessão ordinária, mas foi aprovado.

A vereadora Regina Cioffi informou que não se trata de falar sobre a prevenção da doença, mas sobre o tratamento precoce nos primeiros 3 dias de sintomalogia, onde se vê casos de sucesso com a instituição deste procedimento. A vereadora sugeriu a participação remota da médica, para que os vereadores possam refletir e tomar conhecimento sobre o tema. Regina informou que levou esta questão ao conhecimento do secretário de saúde, Carlos Mosconi, que informou o fato de que o tratamento precoce não constar nos protocolos, mas que os médicos estariam livres para exercer a medicina da forma ética, dentro dos que eles conhecem e acreditam e que não venham a causar mal as pessoas.