O presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária, Carlos Henrique Cobra, disse ontem que a entidade está preocupada com a falta de solução da Prefeitura com o transporte coletivo. Isto porque no próximo dia 21 vence o contrato temporário com a empresa Circullare e a empresa vencedora da licitação, Floramar, só vai começar a operar em 120 dias.

“Há uma medida que pode ser feita que é a renovação do contrato emergencial entre a Circullare e a Prefeitura, para suprir este buraco, de quando termina um contrato e inicia-se um novo. Não havendo flexibilização da Prefeitura a empresa vai parar e causar um colapso total. A gente pede a sensibilidade do prefeito junto a empresa e ao Ministério Público para evitar este impacto desnecessário”, afirmou o presidente em entrevista a TV Poços.

Ainda de acordo com ele, existem mototaxis e vans, mas ele não sabe se estão autorizados e legalizados para fazer este transporte e nem se têm condições de o fazer com qualidade e segurança.