Ontem, durante a reunião da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal, foi discutida a prestação de contas do Fundo Municipal dos Direitos do Consumidor referente aos meses de maio e junho de 2020. O parecer do relator, Kleber Silva, foi pela aprovação com ressalvas acompanhando os pareceres das assessorias do Legislativo.

O vereador Tiago Braz afirmou que dentro da CEI foi possível verificar uma operação de crédito dentro do fundo e que nos seus pareceres, na CEI, baixará diligênciapara o Executivo para que justifique a retirada dos recursos e onde foram utilizados. “Cada vereador tem autonomia para dar seu parecer, mas claramente existe uma ilegalidade dentro desse processado. Eu votarei contra e terei que dar meu parecer do porquê. Convido todos a refletirem se devem votar mesmo este processado ou repensar esta possibilidade”, defendeu.

Kleber questionou Tiago se gostaria que ele fizesse a leitura do parecer. “Se for para me convencer, não. Eu já tenho a minha posição e estou alertando a todos e se você achar necessária a leitura para justificar o seu voto, fique à vontade”, foi a resposta. “Eu estou seguindo a orientação das nossas assessorias, não estou fazendo da minha cabeça. Em nenhum momento eu deixei de cumprir com minha obrigação neste sentido”, rebateu Kleber