Tentando consertar o erro

Assessores palacianos do presidente Jair Bolsonaro e do ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, buscam uma saída verbal honrosa para a confusão que o presidente causou ao falar de improviso sobre “perdoar o holocausto”. Ao provocar involuntariamente os judeus mundo afora, Bolsonaro derrubou seu discurso de atração de investidores que fez em Davos, Nova York e Washington. A equipe tenta salvar ele e o Governo. Uma ideia é usar um grande evento internacional – ou uma entrevista a um canal de TV estrangeiro – para ele encerrar a polêmica.

Fechar Menu