O Contrato Emergencial realizado entre a prefeitura e a Circullare para os próximos 180 dias cita que a tarifa inicial apresentada pela empresa foi de R$ 5,45. Porém, a empresa aceitou trabalhar com taxa de lucro zero, sem repassar os custos da depreciação da frota e aluguel de garagem, buscando ainda preservar o emprego dos 400 colaboradores, sendo possível, com essas medidas, reduzir o valor da tarifa para R$ 4,70.

O mesmo Contrato Emergencial determina ainda que o prefeito encaminharia Projeto de Lei ao Legislativo (a ser aprovado) condicionando o novo valor da tarifa (R$ 4,00) ao subsídio de R$ 0,70 por passageiro, sendo repassado à empresa o valor de R$ 350 mil/mês.

Isso vem a esclarecer o que muitos estavam perguntando sobre qual a razão da Circullare ter aceitado o acordo para reduzir a tarifa, se a empresa havia noticiado recentemente um prejuízo de R$ 12 milhões.

Tá explicado e vale ressaltar: a redução da tarifa só foi possível graças ao projeto de lei a ser encaminhado pelo prefeito à Câmara concedendo o subsídio de R$ 350 mil/mês à Circullare, além da aceitação da empresa do não repasse de alguns custos e a taxa de lucro zero.