Sobrado possui seguro contra incêndio

As causas do incêndio que consumiu boa parte do Sobrado do Conde Prates, na madrugada de segunda-feira ainda são desconhecidas e o laudo de uma perícia feita no local deve esclarecer como o fogo teve início uma vez que o imóvel estava desocupado, com as janelas lacradas e sem móveis no seu interior.

Caso o proprietário do imóvel, o empresário Ronaldo Oliveira Garcia, faça a opção por recuperar o sobrado, um seguro feito por ele em março deste ano e comunicado ao Ministério Público deve cobrir as despesas.

No dia 25 de março, o proprietário protocolou na 2ª. Promotoria Pública, cujo titular é o Promotor de Justiça, Dr. Sidnei Boccia, um ofício comunicando que dando continuidade as tratativas visando a recuperação do imóvel,tomou as seguintes providências:

1- O imóvel foi desocupado pelos moradores e consequente retirada de moveis e utensílios;

2- Foi providenciada a limpeza do terreno;

3- Todas as portas e janelas foram lacradas visando proteger o imóvel de invasores;

4- Uma empresa de sondagens foi contratada para definir as fundações da obra a ser executadas;

5- Está sendo contratado um geólogo para elaboração do laudo hidrogeológico;

6- Antecipando a obra será executado em rocha sã, aflorante, sobre sapatas, sem nenhuma interferência com o subsolo;

7- Foi contratado um seguro contra incêndios, explosão e fumaça, no valor de R$ 2.000.000,00. Vendaval, furacão, ciclone, tornado e queda de granizo, também no valor de R$ 2.000,000,00 através da Seguradora Porto Seguro;

8- Foi protocolado na Secretaria de Planejamento, o projeto de recuperação do sobrado, bem como da obra a ser construída no local.

A partir do protocolo, o proprietário do sobrado informa que aguarda o pronunciamento do Condephact.

Pelo que se deduz do ofício encaminhado ao Ministério Público, mesmo que o projeto para a construção de um hotel ao lado, com aproveitamento em anexo do antigo sobrado e mantendo as suas características, não seja aprovado pela prefeitura, o a restauração do imóvel está garantida através do recurso a ser liberado pela empresa seguradora.

 

Nova indústria poderá gerar até mil empregos

Mas, nem tudo vai mal na cidade, os veículos de imprensa da capital mineira estão anunciando a instalação de uma indústria do ramo farmacêutico em Poços de Caldas que poderá gerar até mil novos empregos em três anos, com início da produção previsto para 2021. Segundo o noticiário, serão investidos R$ 28 milhões na construção da nova indústria.

Minas Gerais é o Estado onde a indústria farmacêutica mais cresce no Brasil. Este é o apontamento do IBGE, na última Pesquisa Industrial Anual, divulgada em 2018. Os fabricantes de produtos farmacêuticos e farmoquímicos localizados em Minas Gerais tiveram uma receita líquida de R$ 3,18 bilhões, um crescimento de 15,44% em relação ao ano anterior.

Fechar Menu