Sérgio Cabral fala em ‘taxa de oxigênio’

Preso e condenado a mais de dois séculos de cadeia, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral admitiu durante depoimento desta terça a existência de propina de até 1% do valor dos contratos firmados pela Secretaria de Obras do estado. Segundo ele, a propina foi batizada de “taxa de oxigênio”. Questionado sobre o envolvimento do também ex-governador Luiz Fernando Pezão, que foi secretário de Obras, Cabral afirmou que ele “participava”. “Era beneficiado e me dava satisfação, prestava conta de valores inclusive de terceiros”, disse.

Fechar Menu