Será que vai?

A respeito do anúncio feito pelo prefeito sobre o interesse de uma empresa alemã pelo Monotrilho, há que se considerar que o primeiro passo será o laudo a ser elaborado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), de São Paulo a respeito das condições em que se encontra a estrutura do equipamento e avaliar se ela não está comprometida de forma irrecuperável. O segundo passo será o estudo da empresa alemã para saber se o Monotrilho é um projeto viável e se a estrutura pode ser recuperada.

A partir daí, a empresa vai elaborar um projeto de recuperação e funcionamento para ver se consegue recurso junto ao governo alemão para colocar a geringonça em funcionamento, isso porque o município não dispõe de capacidade financeira para arcar com esses custos.

E aí… bem ai entramos em fase de campanha pré-eleitoral e tudo leva a acreditar que o problema será empurrado para a futura administração. Esta pelo menos é a opinião de um atento observador que acompanha as notícias sobre o cotidiano da cidade e já antevê o Monotrilho como parte da “herança maldita” que vai sobrar para o próximo governo.

A torcida, no entanto, é para que tudo acabe dando certo e a atração turística que só funcionou por alguns meses na administração do prefeito Geraldo Thadeu, volte a funcionar ainda neste governo.

 

Esqueceram de nós…

Ao que parece o prefeito Sérgio Azevedo não está muito interessado em se aproximar do governador Romeu Zema, ou ele do prefeito. Ontem o governador esteve visitando Jacutinga, onde inaugurou uma fábrica de embalagens de vidro, investimento de R$ 330 milhões. Antes da solenidade, Zema se encontrou com 21 prefeitos de cidades da região, ciceroneados pelo deputado Dalmo Ribeiro, do PSDB. Não faz muito tempo, Zema esteve também em Juruaia, onde também foi recebido por inúmeros prefeitos.

A iniciativa para que o governador viesse a Poços de Caldas para descansar alguns dias neste mês de julho, seguindo o exemplo do que fez seu colega João Dória, em Campos do Jordão, ao que parece, também não vai acontecer.

E o encontro que o Partido Novo está organizando faz alguns meses, com a presença do governador, até o momento não tem data definida. Passados seis meses do governo, Zema, até agora não colocou Poços de Caldas na agenda. Será que vai repetir a mesma atitude do seu antecessor que em quatro anos veio a Poços apenas uma vez e permaneceu na cidade apenas alguns minutos?

Fechar Menu