Sem saída

Não se tem notícias do encontro agendado para ontem, em Belo Horizonte, entre o prefeito e dois importantes secretários de estado do governo Romeu Zema. A torcida é para que as audiências tenham ocorrido com resultado positivo para a cidade.

No entanto, não e deve esperar muita ajuda do governo porque a situação de Minas é terrível, segundo notícias vindas da capital. A nota de classificação do estado segundo a agência de classificação Standard & Poor’s foi rebaixada e o estado caiu para a penúltima colocação no ranking de pagamentos de dívida pública, o que deve dificultar uma nova renegociação da dívida.

Nestes 56 dias de governo foram empenhados R$ 18,1 bilhões, mas pago, efetivamente, apenas R$ 8,5 bilhões e do total empenhado neste período, R$ 8 bilhões correspondem a repasses constitucionais (Cide, IPVA, ICMS e IPI) que o estado tem obrigação de repassar para os municípios.

Ou seja, do jeito que a coisa anda, não é de assustar que Zema ainda peça algum dinheiro emprestado ao prefeito Sérgio para aliviar as contas.

Fechar Menu