O promotor Glaucir afirmou ainda que na resolução seguinte do comitê também fez críticas, mas de forma mais acadêmica, falando que não é possível, no conceito de família de hoje, impedir que pessoas da mesma família, ainda que não residentes na mesma casa, se encontrem. “Torna-se inócua a proibição e sem nenhum sentido prático”, afirmou dando como exemplo duas pessoas que trabalham fechadas juntas, que não podem se encontrar para um café, o que, na sua avaliação, com as medidas para evitar o contágio, não tem nenhuma utilidade.  Glaucir afirmou que sua intenção com a crítica foi no sentido de colaborar para que quando se fizer uma nova resolução, melhore o seu texto para facilitar a leitura das pessoas.