Visando a melhoria da assistência e diminuição da incidência de casos de lesão por pressão, o Núcleo de Segurança do Paciente da Irmandade do Hospital da Santa Casa de Poços de Caldas, juntamente com a Comissão de Curativo, adaptou o método de alarme sonoro nos Centros de Terapia Intensiva com o objetivo alertar os colaboradores quanto ao horário para realização de mudança de decúbito (posição do paciente).

Segundo a enfermeira Natália de Mattos Ribeiro, responsável pelo Núcleo de Segurança do Paciente, esse sistema de alarme  tem sua programação estipulada a cada duas horas e mobiliza praticamente toda a equipe assistencial: enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e fonoaudiólogos.

“Diante da nossa situação atual, houve a necessidade aumento do número de leitos e a mudança no perfil de atendimento do CTI adulto, que passou a atender exclusivamente pacientes com covid. Tais pacientes são considerados atípicos e requerem um cuidado diferenciado, pois necessitam de tempo maior na posição prona (de bruço) e apresentam tempo de internação prolongado, ocorrendo um risco elevado em desenvolver lesões por pressão. Além disso, foi necessária a abertura de novos Centros de Terapia Intensiva para atender a outros pacientes potencialmente graves ou com descompensação de um ou mais sistemas orgânicos”, explica Natália.

A enfermeira lembra  que esse novo sistema de alarme só foi possível através da doação do proprietário da empresa Projeseg, Túlio Marques Canedo. “Diante da necessidade da nossa Instituição, a empresa Projeseg abraçou essa causa tão importante para qualidade no atendimento aos pacientes dos Centros de Terapia Intensiva e, além de criar o equipamento, realizou a doação de dois destes para nossa Santa Casa. Lembrando que esse é apenas um dos inúmeros projetos que a Santa Casa vem elaborando em prol da assistência ao paciente”, completa Natália. (Rafael Santos).