Ao participar ontem do programa Boca Boa, da Master Web Rádio, o prefeito de Caldas, Ailton Goulart (MDB), disse que quando assumiu a prefeitura achou que o problema do covid-19 seria bem menor agora, do que foi no ano passado, mas que o ex-prefeito ao lhe passar o cargo o alertou que o pior estava por vir, o que está se concretizando. “Poços de Caldas está com uma capacidade de 113% de leitos de UTI, fiquei sabendo pela própria boca do secretário de Saúde, Dr. Mosconi e é uma coisa que nos preocupa muito”, garantiu.

Goulart contou que houve uma reunião ontem com a participação das cidades de Santa Rita, Ibitiura, Caldas, Andradas e Poços de Caldas. “Todas as quatro cidades dependem de Poços, onde estão concentrados os leitos de UTI. Lembrando que não é que estejam fazendo um favor para as cidades vizinhas, recebem por este serviço. Nesta reunião não chegamos a uma definição. É um assunto muito polêmico, muito espinhoso e cada cidade tem a sua peculiaridade. No mais tardar quinta-feira vamos tomar uma decisão conjunta. A decisão que for tomada para Poços de Caldas será seguida pelas cidades vizinhas”, garantiu o prefeito de Caldas, lembrando que no feriado de Páscoa estas cidades fizeram um decreto em conjunto, quando foi estabelecida a Lei Seca.  Goulart disse que embora Poços seja a maior cidade da região é importante que ela tenha os laços estreitados com as cidades vizinhas, porque agindo em comum, será mais fácil acertar nas decisões.