Resultado do primeiro LIRAA de 2019

Durante a semana passada, os agentes de endemias da Vigilância Ambiental percorreram 3.565 imóveis de diversos pontos da cidade, para a realização do LIRAa – Levantamento Rápido do Índice de Infestação do Mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya.

De casa em casa, os agentes vistoriaram as áreas, deram orientações aos moradores e destruíram potenciais criadouros do Aedes, como recipientes destampados e com água parada. Os possíveis focos foram levados para o laboratório de entomologia da Secretaria Municipal de Saúde. A análise comprovou 73 focos de criadouros de mosquito positivos para o Aedes. O material foi encontrado em 56 imóveis, com maior incidência nas regiões leste e centro-sul da cidade.

O resultado dá um Índice de Infestação Predial – IIP, de 1,6%, o que coloca o município em médio risco para ocorrência de epidemia de arboviroses e situação de alerta, de acordo com classificação do Ministério da Saúde. “O LIRAa é um indicativo de como está a infestação desse mosquito na cidade, então o foco das ações é na redução dos criadouros do mosquito, na fase larvária.

Podemos dizer que o crescimento desse índice em relação ao último levantamento já era esperado diante do período de muita chuva e muito calor que estamos vivendo”, explicou Jorge Miguel Ferreira do Lago, coordenador da Vigilância Ambiental. Na última pesquisa, realizada em outubro de 2018, foi confirmado baixo risco de infestação.

Fechar Menu