Requerimento provoca debate

A reunião da Câmara desta terça-feira foi marcada por um debate em plenário que envolveu quatro vereadores de oposição (Paulo Tadeu, Maria Cecilia Opípari, Joaquim Alves e Paulo Eustáquio) contra os demais, incluindo o presidente da Casa, vereador Carlos Roberto, todos ansiosos em busca dos holofotes para faturar em cima da decisão tomada pelo prefeito (atendendo ao pedido de proprietários de imóveis) para revisão na cobrança do IPTU.

O requerimento, de autoria do vereador Paulo Tadeu já havia provocado acaloradas discussões na Comissão de Justiça e ao final. No requerimento a Comissão de Justiça solicita da chefia do executivo, informações sobre a revisão e lançamentos de Imposto Predial Territorial Urbano – IPTU e Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis – ITBI.

Como o prefeito havia anunciado algumas horas antes a decisão de alterar a cobrança do imposto, os vereadores da situação entenderam que o requerimento, apresentado já não era mais necessário e acatando sugestão do líder da bancada da situação, por 10 votos contra 4, decidiram por retirá-lo de pauta, adiando a discussão para a próxima semana.

Apesar da tentativa dos vereadores situacionistas de puxar o cancelamento do reajuste do IPTU para a bancada, na verdade o prefeito só decidiu voltar atrás após se reunir com representantes da Associação Comercial e, principalmente, com o presidente do sindicato da construção civil, Rodrigo Batista, que tem atuado como uma espécie de bombeiro e conselheiro do chefe do executivo em situações mais complicadas.

Fechar Menu