Repercussão

A atitude do Procurador Geral de abandonar a audiência pública que discutia a metodologia para os cálculos de reajustes de tributos municipais continua repercutindo de forma negativa e muitos entendem que ele pode ter “amarelado” diante de perguntas que poderiam ser feitas no decorrer da audiência pelos vereadores, em especial do oposicionista Paulo Tadeu.

A saída com a justificativa de que tinha um “compromisso particular” naquele horário não foi bem digerida nem mesmo pelos seus colegas de secretariado que, convocados pelo secretário de governo Celso Donato, foram para a audiência para “dar uma força” ao Procurador e ao secretário da Fazenda, os dois principais defensores do governo com assento à mesa que presidiu a audiência.

Além de tudo, o Procurador contrariou até mesmo o prefeito Sérgio Azevedo que tem exigido dedicação integral ao trabalho por parte dos ocupantes de cargos de primeiro escalão e até avisou, em uma das últimas reuniões da equipe, que aquele que não dispuser de tempo, deve deixar a equipe.

Fechar Menu