UM novo estudo feito pela Universidade Federal de Alfenas (Unifal), e publicada pelo jornal Estado de Minas, aponta que a pandemia na Região do Sul de Minas tem sido mais agressiva do que em todo o estado de Minas Gerais. O impacto da mortalidade na região, que é indicada pela média de mortes a cada 100.000 habitantes por dia, foi quatro vezes maior durante o mês de maio que em dezembro de 2020. Os mais atingidos são os adultos. Entre a parcela de 40 a 49 anos, o coeficiente de mortalidade diário era de 0,776 em abril e passou para 0,896 em maio.

Já na média dos 50 a 59 anos, o número médio era de 1,649 e passou a 1,743.  Poços de Caldas destaca-se com 223% de aumento na média móvel semanal, comparada com 14 dias antes. Alfenas apresentou crescimento de 125% e 126%.Lavras, Itajubá, Três Corações e Três Pontas apresentaram estabilidade de incidência de novos casos, e em São Sebastião do Paraíso houve diminuição.Varginha e Alfenas apresentaram alta nas internações, e em Lavras houve diminuição.

As outras cidades estão com níveis estáveis.Já na média diária de mortes, Passos, Itajubá e Três Corações tiveram crescimento. Poços de Caldas e Pouso alegre apresentaram níveis de estabilidade e as outras cidades da região sul, tiveram diminuição.