Diariamente, cerca de 200 pessoas estão na fila para conseguir leitos em geral em Minas Gerais, enquanto o Estado ultrapassa a ocupação de 80% da assistência médica. O governo estadual reforça que dobrou a oferta de UTIs e enfermarias durante a pandemia e que ainda tem condições de ampliar essas estruturas, porém faltam profissionais de saúde para operá-las.