Privilégio para policiais e carcereiros

A reforma da Previdência proposta pelo governo Bolsonaro recupera privilégios para grupos integrantes da base eleitoral do presidente: policiais civis e federais, além de agentes penitenciários e socioeducativos. Pelo texto enviado ao Congresso, eles terão direito a aposentadoria integral.

Esses servidores poderão se aposentar com o valor igual ao do salário recebido no último cargo, mesmo que tenham ingressado no setor público depois de dezembro de 2003. Naquela data, a aposentadoria do funcionalismo passou a ser calculada pela média dos salários recebidos. (Folha)

Fechar Menu