Privatização será onerosa

O secretário de governo Celso Donato, informou ontem, durante o programa “Poços em Debate”, que nesta terça-feira entra em pauta na Câmara Municipal um novo projeto de lei propondo a privatização dos pontos turísticos. A informação foi prestada com absoluta exclusividade ao programa e segundo informação do secretário, esta nova versão do projeto propõe que a privatização dos pontos de passeio seja feita de forma onerosa, ao contrário do projeto de lei anterior que foi retirado de pauta pelo executivo após o parecer contrário da assessoria técnica da Câmara.

Celso informou ainda que o projeto retirado foi elaborado de acordo com o que havia sido acertado em uma reunião com o presidente da Câmara, vereador Carlos Roberto, mais os dois assessores da área jurídica do legislativo, além de representantes do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), que estão colaborando na elaboração da lei.

Donato disse que o parecer dos assessores legislativos surpreendeu porque eles estavam presentes na reunião, porém “esqueceram de anotar os detalhes” com os quais a assessoria do executivo elaborou o primeiro projeto.

 

Candidatura a deputado

Durante o programa o secretário de governo fez um agrado ao seu colega Thiago Biagioni, secretário de serviços públicos, que o acompanhava no estúdio. Lançou seu nome como candidato a deputado na próxima eleição. Ao final do programa, já fora do ar, Thiago agradeceu o colega, mas disse que no momento não passa pela sua cabeça disputar qualquer cargo eletivo, muito menos de deputado.

Falando como presidente do PSDB, Celso Donato, afirmou categoricamente que o prefeito Sérgio Azevedo vai mesmo tentar ser reeleito para mais um mandato e adiantou que uma pesquisa encomendada junto ao Instituto MDA, para avaliar a administração apresentou números altamente positivos, deixando o prefeito ainda mais animado na busca por um segundo mandato. “Sérgio será o primeiro prefeito de Poços a ser reeleito”, garantiu.

 

A melhor conquista

Por aqui a prefeitura parece não estar muito entusiasmada, ou então não está sabendo tirar proveito desta que foi a maior conquista da administração na área industrial. Já pelos lados do executivo na vizinha São João da Boa Vista, o fato de o grupo Lamesa, sediado na cidade e um dos maiores fabricantes de cabos e fios elétricos do país, ter optado pela implantação de uma nova indústria em território mineiro é motivo de lamentação.

A indústria Alnor, uma das unidades do grupo e está sediada na cidade de Caruaru (PE), foi desativada e todo seu maquinário será transferido para a indústria que está sendo construída no distrito industrial e vai ocupar uma área de 120 mil metros quadrados, doada pela prefeitura.

O terreno está em fase de terraplenagem, serviço que vem sendo executado pela própria empresa uma vez que a prefeitura alegou falta de recurso para fazer o serviço. Quando entrar em operação a nova indústria que mudará de nome, deve contratar um mínimo de 60 funcionários no início, com previsão de chegar a 300 empregos diretos em pouco tempo, se transformando na maior empregadora do distrito e talvez do município.

O investimento nesta nova indústria gira em torno de R$ 100 milhões com previsão de recolhimento de impostos da ordem de R$ 16 milhões anualmente, segundo informação do seu presidente Flávio Augusto do Canto, que na semana passada esteve visitando a área em companhia deste jornalista e de dois diretores da empresa.

Fechar Menu