Durante a discussão de realização de audiência pública, para tratamento dos resíduos sólidos, de autoria da vereadora Regina Cioffi, na sessão de ontem, foi citado pelo vereador Roberto dos Santos a questão do Monotrilho, que se derrubado vai gerar um monte de entulhos. Regina, em um aparte, disse que só para demolir o Monotrilho foi feita uma avaliação e o município gastaria cerca de R$ 20 milhões. “O prefeito está com um presente de grego, vamos dizer assim”, afirmou.

Já o vereador DineyLenon lembrou que não foi um presente, que no dia 3 de julho de 2019 ele assinou um memorando de entendimento com uma empresa alemã e chamou para si o “pepino”. O vereador Lucas Arruda informou que quando o prefeito negociou na justiça com a empresa que era concessionária do Monotrilho chamou para si a responsabilidade. “Pensamos que ele tinha alguma saída para o empreendimento, mas até hoje isso não aconteceu, não resolveu. É uma situação que tem gerado angústia. Não era de responsabilidade da Prefeitura, mas hoje é”, lamentou o vereador.