O vereador Claudiney Marques também justificou o voto, seguindo as palavras da colega de plenário que o antecedeu. “Quando eu vi o senhor Lucas perguntando quem votou contrário, eu me preocupei novamente. Será que nós aqui, vereadores, não teremos o direito de votar neste ou naquele sentido, pura e simplesmente por convicções pessoais? Então as palavras da vereadora serão as minhas e entendo que igualmente estarei analisando com muito cuidado o texto de cada uma das moções, porque assim é preciso para que não se transforme num instrumento para além daquilo que se destina a moção”, disse Claudiney.

O vereador Kleber Silva adiantou que também será mais criterioso tanto nos requerimentos quanto nas moções. “Entendo sua posição, que talvez a moção seja para isto, mas faço jus as palavras dos meus colegas, até por uma questão de justiça para depois não ninguém dizer que a gente é contra a segurança no trânsito, contra isso, contra aquilo outro, como já aconteceu dias atrás nesta casa”, lembrou.