O vereador Silvio de Assis também se manifestou na tribuna da Câmara, na sessão de terça-feira, sua preocupação com relação com a possibilidade de vinda de rejeitos radioativos para o Planalto de Poços. “Acho que nós, aqui da Casa, temos que nos unirmos nessa questão”, defendeu.

Para o vereador, como é de conhecimento de todos nós, vivemos ao lado de uma barreira de rejeitos radioativos e de inúmeros containers de lixo radioativo com urânio, tório e rádio, que estão depositados no município de Caldas. Lembrou que todo este material foi armazenado durante o período de funcionamento da mina entre os anos de 1982 a 1995 e que ao todo são 12,5 toneladas de resíduos, que não passaram pelo processo de descomissionamento.  “A decisão pela vinda de mais rejeitos é do Procurador da República do estado de São Paulo, Gustavo Torres Soares, e precisamos unir, cidadãos, órgãos competentes do nosso município, juntamente com as cidades vizinhas para buscarmos soluções e evitar a tentativa de despejar lixo radioativo na região”, disse o vereador.