Prefeitos insistem em perdas da Lei Kandir

Depois de fechar um acordo para receber R$ 7 bilhões do governo estadual nos próximos três anos, os prefeitos mineiros direcionaram o foco dos pedidos, nesta semana, para a Marcha de Brasília. Cerca de 500 deles desembarcaram ontem na capital federal com uma longa lista de reivindicações que, diferentemente de outros anos, é endereçada ao Congresso Nacional e não ao governo federal, agora sob gestão do presidente Jair Bolsonaro.

Entre as principais reivindicações dos prefeitos mineiros, que estão em sua maior parte endividados, estão a regulamentação da compensação pelas perdas com a Lei Kandir e uma mudança na contabilidade da Lei de Responsabilidade Fiscal que ampliaria o limite dos gastos. O presidente da AMM e prefeito de Moema Julvan Lacerda afirmou que, diante da situação de crise generalizada em Minas Gerais, a participação dos municípios do estado este ano na marcha é recorde.

Fechar Menu