O porta-voz da administração municipal, Paulo Ney de Castro Júnior, titular da secretaria de comunicação, informou ontem que o prefeito Sérgio Azevedo vai sancionar o projeto de lei aprovado pelos vereadores, que torna essencial no município o ensino fundamental e infantil. “Nós, que trabalhamos direto com a informação, temos que nos informar do que se trata o projeto, para que nada chegue com distorção para a população.  Este Projeto do legislativo trata da essencialidade da educação, e não determina volta às aulas”, disse o secretário.

Segundo ele, as aulas só voltarão com toda segurança, com todas as escolas preparadas para receberem os alunos de forma segura, e com todo apoio aos profissionais e alunos. “A volta às aulas presenciais é uma discussão técnica de saúde, e não estamos em condições seguras para voltar de imediato, pois a situação da pandemia ainda é crítica”, informou Paulo Ney, acrescentando que a volta presencial só acontecerá quando o momento for adequado e seguro e que tornar a educação essencial, é colocar ela como prioridade, valorizar os profissionais, dar uma importância ainda maior do que ela já tem.

“Com esta aprovação, que inclusive está sendo discutida em âmbito nacional, os profissionais de educação podem, por exemplo, serem incluídos nos grupos prioritários de vacinação”, concluiu o secretário.