Durante uma live transmitida ontem à tarde, pelo Instagram, entre o deputado estadual Bartô (sem partido), e o diretor superintendente do Hospital da Santa Casa, Ricardo Sá, o deputado informou ao diretor do hospital que esteve com o Secretário de Saúde, do Estado, Fábio Baccheretti e este confirmou que seguindo o que está desenhado no programa “Valora Minas”, e por uma questão legal, a porta de entrada, ou seja, o setor de urgência e emergência para atendimento de pacientes do SUS,  nos casos de infarto e AVC, ficará com o hospital da Santa Casa.

Bartô disse que na quinta-feira se encontrou com o secretário em uma solenidade em Belo Horizonte e como tinha conhecimento da notícia sobre o descredenciamento do hospital Santa Lúcia da rede de emergência para este tipo de atendimento, indagou do secretário qual será a solução. Como resposta, o secretário informou que por uma questão legal, o programa Valora Minas não poderá incluir o hospital Santa Lúcia no atendimento de emergência para pacientes do SUS, embora preste excelente serviço e seja um hospital referência em cardiologia, o credenciamento para o atendimento, da chamada porta de entrada ficará com a Santa Casa.

Mesmo assim, o secretário sugeriu ao deputado Bartô que procurasse o Procurador do Estado para receber maiores informações. Mais uma vez a informação de que apenas hospitais públicos e filantrópicos estão aptos a receber por atendimento a pacientes do SUS e como está delineado no programa Valora Minas, na região, a Santa Casa é quem preenche esse requisito.

Ricardo Sá, por sua vez, elogiou o trabalho que é desenvolvido pelo hospital Santa Lúciae informou que não procurou, mas sim, foi procurado para assumir o serviço. Disse que desde abril o hospital está em obras para a reabertura do novo Pronto Socorro e que espera inaugurá-lo no dia 18 de novembro, já em condições para atendimento primário de problemas cardíacos.

O diretor da Santa Casa, declarou ainda que o intuito é de ser apenas mais uma opção para os pacientes e acredita, assim como o deputado, que o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde, encontrará um caminho para que o hospital Santa Lúcia possa continuar prestando o mesmo tipo de atendimento.