Pela reforma ministros podem ser substituídos

A reforma da Previdência ainda nem começou a tramitar na Câmara e a pressão por uma mudança ministerial já ecoa na Esplanada dos Ministérios. A fervura vem de diferentes segmentos. De bancadas partidárias a temáticas, a reclamação é unânime em relação à comunicação feita até o momento pela articulação política do governo. Sem uma interlocução eficiente e uníssona, líderes e aliados avaliam que, cedo ou tarde, o presidente Jair Bolsonaro precisará substituir ministros para obter apoio capaz de aprovar agendas reformistas, como a própria proposta de emenda à Constituição (PEC) que atualiza as regras de aposentadoria. Ontem, Bolsonaro recebeu o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, no Palácio da Alvorada, para discutir a reforma da Previdência. Maia ficou no palácio por cerca de uma hora e saiu sem falar com a imprensa.

Fechar Menu