A movimentação dos partidos Avante, PSB, PC do B e Solidariedade para apresentar o pedido de cassação do vereador Claudiney Marques começou a tomar corpo ainda na noite de terça-feira logo após o término da sessão ordinária da Câmara. A idéia dos quatro representantes do partido foi de isolar o PT, a Rede e o PDT. Os quatro partidos, mesmo sem mandato, conseguiram fazer barulho graças a uma fala de Claudiney que passou despercebida até mesmo pelo bloco de oposição.

II

Na manhã de quarta-feira o assunto já havia começado a chamar a atenção mas, ainda assim, dentro da bolha política. Após o documento ter sido protocolado na Câmara e disparado pelas lideranças dos 4 partidos nas redes sociais, inclusive para a imprensa, pela primeira vez em muito tempo uma pauta política conseguiu furar a bolha e gerar discussão na população. Sem a assinatura do PT ficou vazio o discurso nas redes sociais de “isso é coisa da esquerda”, uma vez que, ao menos dois partidos que assinaram a representação fazem parte do centro. Ao mesmo tempo, a tática obriga tambem os vereadores de oposição a se posicionarem na próxima sessão. Quanto aos da situação, terão no colo uma bomba atômica para desarmar.

III

Até mesmo o horário das 14h foi estrategicamente pensado para que o documento fosse protocolado na Câmara. Prestes a começar uma audiência pública, os vereadores foram presentes foram pegos de surpresa com a repercussão do assunto nas redes sociais. O próprio Claudiney, que já estava no plenário, deixou o local ao começar a receber telefonemas dos mais diversos meios de comunicação para se posicionar sobre o assunto.

IV

Com essa movimentação Avante, PC do B, PSB e Solidariedade mostram união para 2024 e, mais do que isso, já para 2022.