Portal de Notícias e Web Rádio 

Litro deve chegar a R$ 6,50 contra R$ 2,85 citado no edital de licitação do transporte coletivo em Poços em 2019 A Petrobrás anunciou que nesta terça feira, 10, o valor do óleo diesel em suas refinarias sofrerá o aumento de 8,9%. Somente nesse ano de 2022 já ocorreram três aumentos: 8,1% em janeiro, 24,9% em março e agora 8,9%, totalizando 51,9% de elevação no custo do óleo diesel, sendo que nos últimos 14 meses, o diesel já aumentou em 147,6%.

O novo aumento impacta diretamente o setor de transporte coletivo, que vem enfrentando séria crise ao longo dos últimos anos, já que o óleo diesel é o segundo item que mais pesa nos custos operacionais das concessionárias, em média, 30,2%, perdendo apenas para a mão de obra, 48% em média. Segundo o presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Francisco Christovam, a população das cidades brasileiras poderá enfrentar uma falta generalizada de transporte público.

“Se não forem definidas fontes para cobrir esses custos adicionais, as operadoras serão obrigadas a racionar o combustível e oferecer apenas viagens nos horários de pico pela manhã e à tarde. No resto do tempo, os ônibus terão que ficar parados nas garagens. As empresas não querem praticar uma operação seletiva, atendendo apenas linhas e horários de maior demanda, mas serão obrigadas a adotar essa medida radical porque não suportam mais os sucessivos aumentos de custo e os prejuízos”.

Em Poços de Caldas A Circullare irá encerrar na próxima quinta-feira, 12, as suas atividades como concessionária do transporte coletivo na cidade, sendo que na sexta feira, a Floramar já inicia suas operações em razão de ter sido a vencedora da Concorrência Pública.

O orçamento constante no edital de licitação em agosto/2019 é citado o valor do óleo diesel, naquela data de R$ 2,85/litro, sendo que, o valor atual do óleo diesel, com o aumento anunciado pela Petrobrás, chegará a R$ 6,50 para a concessionária, ou seja, um aumento de mais de 228% em 21 meses. Segundo o gerente geral da Circullare, Armando Bertoni, o que está em risco é o Sistema de Transporte Coletivo da cidade.

“Os aumentos constantes no óleo diesel, somados às altas de outros insumos, a questão das gratuidades sem fonte de custeio, a queda no número de passageiros transportados, entre outros problemas afetam o equilíbrio econômico-financeiro do Sistema e, independente de qual seja a concessionária, essas situações precisam ser solucionadas. Se isso não ocorrer, infelizmente, poderemos ter um transporte coletivo com uma nova concessionária, mas repetindo velhas fórmulas, que acabam por atingir, principalmente aqueles que mais necessitam do transporte coletivo, os trabalhadores e as pessoas mais humildes”, prevê Armando.