Obras podem ser paralisadas

A construção de dois novos conjuntos residenciais para famílias de baixa renda, financiados pelo programa Minha Casa, Minha Vida, em Poços de Caldas, corre o risco de ser paralisada, segundo notícias do G1. Um dos conjuntos está localizado no Jardim Itamarati e o outro na zona sul.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, disse ontem que os recursos orçamentários disponíveis no ministério para serem aplicados no programa só duram até junho deste ano.

O ministro deu a declaração em audiência pública conjunta nas comissões de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e Amazônia, de Fiscalização Financeira e Controle e de Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados, onde foi convidado para falar sobre os trabalhos e objetivos do ministério.

“Hoje a execução está garantida até junho. A partir de junho, se não tiver uma ampliação do nosso limite, nós estaremos inviabilizados de dar continuidade tanto nas obras em execução como novos financiamentos”, afirmou o ministro.

As construtoras estão com pagamentos atrasados e a esperança é que eles sejam colocados em dia com os R$ 800 milhões que foram liberados dias atrás, mas a partir disso os futuros pagamentos podem estar comprometidos segundo informação do ministro, o que levará os empresários a paralisar as obras. Uma construtora de Poços acumula em pagamentos atrasados, R$ 8 milhões.

Fechar Menu