Portal de Notícias e Web Rádio 

O Instituto Nacional de Câncer (Inca), prevê para o ano de 2022, 625 mil novos casos de câncer no Brasil; 67 mil novos casos, somente em Minas.

Esses números mostram a importância dos hospitais com o foco específico no tratamento da doença. Por este motivo, em outubro de 2021, o município de Pouso Alegre anunciou a construção de um hospital oncológico que vai atender a região do Sul de Minas.

_“Quando presidente da FUVS, eu olhava da janela da fundação aquele antigo campo da Lema e enxergava ali um grande complexo de saúde. E isso se tornou um grande sonho; não apenas meu, mas de todos que ali trabalhavam. Na cerimônia de posse do meu primeiro mandato em 2017, assinei um decreto desapropriando o antigo campo da Lema. Hoje, onde era o campo abandonado, um grande complexo de saúde começou a tomar forma com a UPA que já está em funcionamento, com a construção da sede do Samu e agora com a obra do novo Hospital que está a todo vapor”, comemora Rafael Simões, ex-prefeito de Pouso Alegre.

Para a construção do novo hospital, a prefeitura de Pouso Alegre doou um terreno de 2,8 mil m² ao lado da UPA do município, e fez um repasse de R$13,7 milhões em recursos próprios para o início das obras. O hospital terá cinco pavimentos, mais de 11 mil m² de construção e pelo menos 100 leitos garantidos, além de um heliponto para os casos de emergências.

Com o valor aportado pela prefeitura de Pouso Alegre e as obras em ritmo acelerado, a expectativa é que a entrega seja feita até outubro deste ano, entretanto, a primeira fase deverá ser concluída até o final de julho. Isso só será possível, por conta do sistema de construção pré-moldado, o mesmo sistema usado na China durante a pandemia, situação em que chocou o mundo devido a rapidez que foi construído o hospital da cidade de Wuhan, em tempo recorde no ano de 2020.

Após a finalização da primeira fase da construção, a Prefeitura e a FUVS, Fundação do Vale do Sapucaí, mantenedora do Hospital das Clínicas Samuel Libânio, estudam outras formas de angariar fundos para que as obras sejam concluídas o mais rápido possível.

_“Eu tenho certeza que esse novo hospital irá salvar muitas vidas e amenizar o sofrimento de muitos pacientes que hoje precisam se deslocar para cidades como Barretos no interior se São Paulo e Passos, para fazer o tratamento”, completa Rafael Simões.

A construção tem atraído o interesse de diversos profissionais da saúde que atuam na região, que desde o início das obras já começaram a enviar currículo demonstrando o interesse em fazer parte do futuro time de profissionais do hospital. Esse interesse demonstra que o hospital se tornará referência no tratamento do câncer, uma vez que contará com uma infraestrutura moderna, equipamentos de última geração e corpo clínico alinhado com o propósito do hospital e de seu idealizador.