O ex-prefeito de Caldas e primeiro suplente a deputado estadual pelo PTB, Ulisses Guimarães, afirmou que pela legislação eleitoral não foi eleito porque faltaram 632 votos da coligação para conseguir sua cadeira na ALMG. “Até 98% das urnas apuradas eu estava eleito, mas na última distribuição das sobras o PTB acabou não tendo a cadeira e o Bráulio Bras superou minha votação por mil e poucos votos”, recordou.

Na avaliação dele, como foi o prefeito do Brasil mais jovem eleito e reeleito e estaria deputado com menos de 30 anos, começaram as perseguições. “Não querem que a gente cresça, querem ocupar o nosso lugar, querem ter os votos e a atuação que a tivemos e, infelizmente, isso é normal é a realidade da política. Vêm as denúncias, as perseguições, eu passei isso em Caldas, quando estava prefeito, com denúncias de vereadores da oposição, que resultaram em investigações, processos, mas o tempo mostra tudo e quando vem a verdade mostra que aquilo não passava de perseguição política”, lamentou.