O diretor anunciou que em breve serão criados mais 6 leitos e até meados de abril o hospital contará com 202 leitos, contando com atendimento de 3,2 funcionários por leito, que é um número monitorado todos os meses. “Se não tivemos feitos o modelo de gestão que foi implementado, a Santa Casa a Santa Casa ficaria inviável até o final de 2021”, afirmou o diretor.“Ela fecharia as portas e estaria entregando as chaves para o poder público por falência, tamanha era a repercussão de fatores financeiros negativos”, garantiu.

Ricardo Sá explicou que foi feito o controle de caixa para que a instituição se tornasse auto-suficiente pela primeira vez não foi preciso se socorrer aos bancos para pagar o 13° dos funcionários. “Hoje em dia a Santa Casa vai ao banco para fazer investimento e não para pagar despesas, dívidas. Hoje eu ainda tenho um saldo negativo de compromissos a serem honrados com prestadores de serviços, fornecedores e tributos da ordem de R$ 4,5 milhões e eu poderia ir ao banco e tomar este valor para quitar esta dívida, mas não vou fazer isto, porque é trocar dívidas”, garantiu.