Respondendo ao vereador Tiago Braz, a vereadora Regina afirmou que não se coloca ninguém no paredão e que a questão foi a de seguir uma orientação de possível ilegalidade. “Hoje foi um dia triste, estressante para todos nós. Até o momento tinha uma união e tenho certeza que irá continuar. Você disse que arrebentamos com seu projeto, como se fossemos contra o uso de máscara, foi uma questão de coerência quando votamos contra, porque você já sabia que íamos votar contra o projeto. Ficaria esquisito, estranho, uma incoerência”, destacou Regina.

O vereador Flávio lembrou que o que foi passado aos vereadores é que nas emendas poderiam ser ilegais da forma como foram apresentadas. “Então como não ter coerência e votar favorável justamente onde poderia existir a ilegalidade?”, questionou. Regina destacou que o Legislativo é a Casa da legalidade e que os vereadores nunca devem esquecer isto. Em um pedido de aparte,Tiago questionou onde foi pontuada a ilegalidade.