O vereador Claudiney Marques, justificando seu voto contrário, afirmou que não se tratava de um voto político, mas pautado de um parecer de uma assessoria técnica competente, que teve 15 dias para analisar, estudar e aprofundar o tema. “Nós, neste país, precisamos valorizar os pareceres jurídicos competentes no sentido de nos adequarmos ao que está sendo colocado no parecer. Talvez a gente vote politicamente em outras questões futuramente, mas especificamente nesta existe um parecer muito bem trabalhado e eu não tenho como fugir desta hipótese de votar contrário ao parecer”, afirmou.