A Academia poços-caldense de Letras recorreu à justiça para permanecer no espaço que ocupa no piso superior do Mercado Municipal. A determinação para que deixe aquele espaço foi do Ministério Público, que entende que a academia é uma entidade privada. O presidente da academia Marcus Vinicius Ferreira de Moraes, informou que a entidade não invadiu aquela sala, que ela foi entregue por meio de concessão pelo então prefeito Sebastião Navarro, para que pudessem se reunir, manter o acervo e móveis, que são de utilidade pública. Informou também que a academia detém o título de utilidade pública municipal e estadual. O MP, no entanto, acionou a prefeitura para que entre com a reintegração de posse.