Mudanças na merenda

A vereadora Maria Cecilia Opípari apresentou na sessão ordinária de ontem, um requerimento no qual solicita da chefia do executivo, maiores explicações sobre uma nova norma para distribuição da merenda escolar aos alunos das escolas de primeiro grau da rede municipal de ensino.

Segundo explicação da vereadora, antes os alunos podiam escolher os ingredientes da merenda, colocando no prato apenas aquilo que tinham vontade de comer. Agora, após um novo contrato firmado entre a empresa S.H.A. Alimentos e o município, os alunos estão sendo obrigados a colocar no prato todos os ingredientes que fazem parte do cardápio.

Como a maioria dos alunos perderam o direito de escolher aquilo que gostam de comer, a quantidade de alimentos que vai para o lixo aumentou consideravelmente. A justificativa é que a prefeitura paga a empresa pela merenda completa.

Ao mesmo tempo em que boa parte da alimentação é desperdiçada, uma norma, baixada pelo comando do executivo, proíbe que os professores e servidores se alimentem nas unidades de ensino o que constitui um absurdo, tendo em vista o desperdício diário dos alimentos.

O requerimento da vereadora foi aprovado em plenário e os vereadores aguardam agora a resposta do executivo para continuar o debate. A vereadora Maria Ligia Podestá, que trabalha em uma das unidades lamentou a atitude da administração que impede os professores e servidores da educação de se alimentar na própria unidade enquanto toneladas de alimentos estão indo para o lixo.Lembrou também que quando eles comem junto com os alunos, isso acaba servindo até como incentivo para eles comerem mais.

Fechar Menu