Movimentação nos bastidores

Muito embora a política sulfurosa apresente uma aparente calmaria, externamente, com o cenário indicando que a eleição municipal do ano que vem acontecerá sem muitas novidades, nos bastidores a movimentação é grande e as articulações indicam um fortalecimento do grupo que integra o Partido Novo, do governador Romeu Zema.

Já se fala até na mudança do empresário Waldir Miguel que estaria disposto a deixar o “seu” PTB, migrando para a legenda do atual governador e para isso existiriam duas razões, primeiro porque é público e notório a posição de governista do empresário que segue fiel ao lema “si hay gobierno, soy a favor”, e também porque seu candidato preferido a sucessão municipal, o Coronel PM Frederico ficaria melhor acomodado em outra legenda tendo em vista o fato de que o PTB é oposição ao governo do estado.

Mas não é só o empresário do ramo hoteleiro, que o Partido Novo vem conquistando, existem outras lideranças de peso na cidade que estão se filiando ou ou incentivando pessoas a aderir ao partido do governador. Mesmo ainda sendo uma incógnita o futuro de Romeu Zema que enfrenta enormes dificuldades não só financeira, mas também no campo político.

Dizem por aí que até o Pastor Paulo, cuja igreja tradicionalmente elege um vereador, estaria pensando em deixar o DEM e transferir seu apoio para o Novo, garantindo com isso uma cadeira para o partido na Câmara na próxima eleição.

A intenção desta movimentação de bastidor é repetir no município, o que aconteceu com o PSL e o Novo na eleição de presidente e governador. Uma nova proposta, com nomes novos, longe da velha política, elegendo o comando do executivo e também uma bancada majoritária na Câmara.

Até porque, os demais partidos, a começar pelo PSDB estão sem rumo e os tucanos pagam um alto preço pelo envolvimento de suas lideranças, Aécio Neves & Cia. em denúncias de corrupção.

Isso deveria servir de alerta e uma reflexão para o prefeito Sérgio Azevedo que sonha com a reeleição e cuja integridade moral do seu governo, pelo menos até agora, não há nada que o desabone. E também para o DEM que é impedido de crescer pelo seu presidente Antonio Carlos Pereira que dirige o partido com mão de ferro, se recusa a fazer reuniões e não aceita novos filiados.

Fechar Menu